(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Treze Tílias Nereo Lopes de Lima: O destino do lixo

Nereo Lopes de Lima: O destino do lixo

Dia Mundial do Trigo. Dia mundial da ciência pela paz e pelo desenvolvimento (Unesco). Dia nacional de prevenção e combate à surdez. Dia Nacional do Intensivista.  É o médico, que presta suporte avançado de vida aos pacientes com desarranjo agudo de funções vitais.  Mundial do ceratocone.— Ceratocone é uma enfermidade não inflamatória que afeta a estrutura da córnea, camada fina e transparente que recobre toda a frente do globo ocular.

 A produção excessiva de lixo, além de exigir uma gestão voltada para a reeducação e conscientização sobre hábitos de consumo, deve ser acompanhada de iniciativas eficientes e inovadoras para o reaproveitamento inteligente destes materiais.

Assim como nos países em desenvolvimento, os métodos tradicionais de eliminação do lixo – como o descarte em aterros sanitários – ou de reaproveitamento através da coleta seletiva têm esbarrado em dificuldades operacionais e no esgotamento de espaços próprios para a destinação do material. Diante destas dificuldades, formas alternativas de descarte e reutilização ganham destaque nos países desenvolvidos.

Uma delas é a reciclagem energética. Neste método, utilizam-se os resíduos para a geração de energia através da queima.

Em nações onde a consciência ecológica é maior, os processos de reciclagem energética passaram por aprimoramentos para assegurar a qualidade dos gases emitidos.

Apesar dos efeitos controversos, este processo foi adotado como principal método de reciclagem em muitos países desenvolvidos. Na Alemanha, a incorporação do aproveitamento energético possibilitou a abolição dos aterros sanitários. Nos Estados Unidos, são 98 usinas abastecendo 2,3 milhões de residências com energia recuperada do material descartado. Japão e União Europeia também aderiram ao sistema e já contam com centenas de usinas para essa finalidade.

Enquanto o Brasil ainda rascunha os planos setoriais de logística reversa, previstos na Política Nacional de Resíduos Sólidos, distante daqui, o velho continente registra taxas de reciclagem superiores a 50%, movimentando um mercado bilionário

Em Estocolmo na Suécia, a coleta seletiva, atende todas as residências. A coleta de lixo a vácuo, criada em 1.960, é aprimorada constantemente. Um sensor percebe quando a lixeira está cheia e o sistema de tubos cria um vácuo que suga os resíduos, transportando  para o  local de acumulação. Existem sistemas específicos para residências, prédios comercias e áreas públicas. O sistema reduz o tráfego de caminhões, diminuindo o trânsito urbano e emissões do CO2 e reduziu o custo em 40%

Enquanto o Brasil anda timidamente rumo à coleta seletiva de resíduos sólidos, mesmo com a expressiva porcentagem de 85% dos brasileiros que colaborariam com tal processo caso existisse.

No Japão as ruas são absolutamente limpas. A preocupação das pessoas vai além da reciclagem. Todos tem a missão de produzir pouco lixo. O país separa e exporta milhões de toneladas de lixo plástico.

Não é à toa que o Japão é chamado de “Terra do Sol Nascente”. Seu pioneirismo vai além dos fatores naturais, e quando o tema é lixo isso fica mais evidente, não somente pelos números positivos, mas também pela conscientização e atitudes por parte da população japonesa. O país consegue reciclar 96% de seu lixo, tudo atrelado à conscientização da sociedade, nas escolas, nas ruas,  nas famílias, nas empresas. É um processo de educação que levou anos para ser realizado, mas dá bons frutos.

Estou abordando o tema coleta de lixo, porque foi assunto na última terça feira, do conselho do DEL, de Treze Tílias, com a intenção de encontrar formas de diminuir o custo de coleta de lixo no munício, nos próximos anos. Uma das formas sugeridas, foi a educação já desenvolvida em Treze Tílias, segundo a qual as pessoas se responsabilizam por seu lixo produzido. Muitas famílias aqui, já dão destino ao lixo organico em seus próprios quintais e reciclam papel, plástico, vidro, ferro, alumínio e lixo eletrônico.

 Com menos lixo entregue ao sistema de coleta, com a participação das pessoas, o município, economizará recursos públicos nessa finalidade. O senso de respeito e organização dos japoneses realmente impressiona e são valores indispensáveis

O conceito de sociedade deles é tão forte que dispensa a necessidade de se criar uma série de leis. Eles mudam seus hábitos e agem de modo correto e honesto,  de forma voluntária, porque já compreenderam que é o melhor para a sociedade. Todos saem ganhando. Tomara que isso ocorra também por aqui a curto prazo.

 Foto de Emmet: https://www.pexels.com/pt-br/foto/lixeira-sob-ceu-claro-128421/

Veja as mais acessadas

Nosso site salva o seu histórico de uso. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para saber mais, acesse Política de Privacidade.

X
Configuração de Cookies:
Cookies Essenciais (Obrigatório)

Esses cookies permitem funcionalidades essenciais, tais como segurança e suas permissões.

Cookies Funcionais

Esses cookies coletam dados para lembrar escolhas que os usuários fazem e para melhorar sua experiência mais organizada.

Cookies Analíticos

Esses cookies nos ajudam a entender como os visitantes interagem com nosso site.